TOLEDOL, o blog sobre RAC

Reportagem com Auxílio do Computador (RAC) e jornalismo investigativo

A nova onda que promete sepultar o e-mail e o instant messenger

Google Wave. Lembre-se desse nome, porque ele vai mudar sua vida digital. É uma ferramenta ainda em fase de desenvolvimento que casa o e-mail com o instant messenger com um editor de texto colaborativo com um tradutor instantâneo com Google Maps com álbum de fotos online com o seu blog com o Twitter com o seu celular com… um monte de outras coisas bacanas.

A definição oficial é “sistema de comunicação pessoal e ferramenta de colaboração online”. Infelizmente é daqueles casos em que as palavras parecem insuficientes para descrever o fato. Como o Twitter, só vendo para entender as possibilidades. Dá para ter uma ideia assistindo a este vídeo no qual um dos pais do Google Wave, Lars Rasmussen (o criador do Google Maps), demostra algumas das originalidades de sua cria. Exemplos:

Você seleciona um ou mais destinatários, começa a escrever e, se quiser, as letras aparecem instantaneamente, uma a uma, na tela do(s) interlocutor(es);

Você e mais quatro ou cinco pessoas podem editar um mesmo texto online em tempo real e ver o que cada um está fazendo instantaneamente -isso significa não apenas mudar o texto, mas acrescentar imagens, fotos, mapas (imagine os impactos disso na edição de uma matéria jornalística, de uma página de web etc);

Em uma conversa coletiva, você pode chamar dois ou três pessoas num canto virtual e entabular uma conversa a três sem que os demais possam lê-la;

Em uma entrevista com um norte-americano via Google Wave você escreve em português e o texto aparece para ele em inglês, e vice-versa com as respostas.

google_wave_concurrent_edit

Em resumo, o Google Wave se propõe a ser sua única ferramenta de comunicação, concentrando tudo em uma só interface: e-mail, leitor de notícias online, editor de texto, MSN, ferramenta para postagem de mensagens no seu blog ou no seu Twitter, e por aí vai. Apesar de o produto ainda estar em fase de testes, com um grupo limitado de desenvolvedores, já há muita coisa sobre ele na internet, inclusive um suposto “guia completo”.

Outro ponto que aumenta a chance de o Google Wave se tornar um sucesso é que ele tem seu código aberto, o que permite a qualquer desenvolvedor de softwares e aplicativos criar complementos, adaptar sua interface, personalizar seu jeitão. Ferramentas para usar o novo aplicativo no celular também estão em fase avançada de testes, como se pode ver aqui.

Claro que o sucesso ou o fracasso da nova ferramenta vai depender de sua universalização e da velocidade de adoção pelos usuários. Como ele é essencialmente colaborativo, não adiantará muita coisa se apenas você tiver ele instalado no seu computador, mas seus amigos e colegas de trabalho não. O Twitter também passou por isso e deu no que deu.

Passa da hora de alguém sepultar o e-mail. Não apenas pela poluição do spam que entope seus canais e toma nosso tempo. Mas porque é uma tecnologia mais velha do que eu (a primeira mensagem é de 1965).

Anúncios

Written by Jose Roberto de Toledo

13/08/2009 às 4:43

Publicado em Uncategorized

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. E tem mais, já dá até pra imaginar que uma ‘página’ (thread) do Wave vai ser a versão aprimorada do que é hoje a topic page do NY Times.

    ‘Imagine a team of reporters – together with witnesses on the scene – able to contribute photos and news to the same Wave (formerly known as a story or a page). One can write up what is known; a witness can add facts from the scene and photos; an editor or reader can ask questions. And it is all contained under a single address – a permalink for the story – that is constantly updated from a collaborative team.’

    http://www.buzzmachine.com/2009/05/31/google-wave-and-news/

    Rafael

    13/08/2009 at 15:14


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: