TOLEDOL, o blog sobre RAC

Reportagem com Auxílio do Computador (RAC) e jornalismo investigativo

Dica de taxista iniciou saga jornalística que enterrou político

A repórter Daniela Arbex se dirigia a mais uma pauta para o seu jornal, o diário Tribuna de Minas (cerca de 8 mil exemplares), a bordo de um táxi. Discutia política com o motorista, sem maior intenção do que matar o tempo, quando o taxista lhe disse que o mais poderoso vereador da cidade era dono de uma empreiteira, a Koji. Bem-informada, ela se espantou porque nunca ouvira falar daquela empresa, muito menos que Vicentão, o vereador Vicente de Paula Oliveira, fosse empreiteiro. Mesmo duvidando, pôs-se a investigar.

Ao fim de três meses, Daniela e seus colegas descobririam não só que o taxista estava certo, mas que a Koji ganhara e não entregara obras para a maioria das secretarias municipais de Juiz de Fora. A publicação de 35 reportagens bem sustentadas levaram primeiro ao afastamento de Vicentão da presidência da Câmara Municipal, depois à renúncia ao cargo de vereador (para escapar da cassação) e, finalmente, à não-reeleição, que pôs fim a 20 anos de uma bem-sucedida carreira política-empresarial.

IMG_0510A equipe vencedora: Táscia Souza, Daniela Arbex e Ricardo Miranda

A apuração cumpriu  todas as etapas de uma exemplar investigação jornalística. Em todas as fases, os jornalistas estiveram à frente e não atrás da polícia, do Ministério Público e da comissão de inquérito da própria Câmara. Os jornalistas descobriram que a Koji estava em nome de laranjas ligados ao vereador, que a empreiteira recebera milhões do poder público municipal, que vencera concorrências em circunstâncias suspeitas, que o patrimônio do vereador fora multiplicado por quatro em apenas quatro anos, entre outras irregularidades. Tudo foi baseado em documentação.

O resultado foi um movimento popular que foi às ruas gritar “Fora Vicentão”. Passeatas, adesivos e a presença maciça da população nas votações sobre o caso na Câmara Municipal acabaram por fazer o vereador perder seu poder, seu cargo e seu capital político. Como sintetizou Daniela em seu depoimento durante a Conferência Latinoamericana de Jornalismo Investigativo, em Lima (Peru), o político que começou a carreira doando caixões aos eleitores, acabou enterrado politicamente pela torrente investigativa desatada por uma conversa com um motorista de táxi.

A série de reportagens ficou em primeiro lugar na sétima edição do Prêmio IPyS de Jornalismo Investigativo. Dividiu o prêmio de US$ 25 mil com uma reportagem sobre as suspeitas finanças da Igreja Católica na Costa Rica, publicada por Gianinna Segnini no diário La Nación.

Anúncios

Written by Jose Roberto de Toledo

17/08/2009 às 23:00

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. […] Dica de taxista iniciou saga jornalística que enterrou político « TOLEDOL, o blog sobre RAC toledol.com.br/2009/08/17/dica-de-taxista-iniciou-saga-jornalistica-que-enterrou-politico – view page – cached #TOLEDOL, o blog sobre RAC RSS Feed TOLEDOL, o blog sobre RAC » Dica de taxista iniciou saga jornalística que enterrou político Feed de comentários TOLEDOL, o blog sobre RAC 4º Congresso da Abraji – 1 Destaques da Colpin IPyS – 1 Links, websites para IPyS Colpin — From the page […]

  2. Que ótima história, Toledo. Os taxistas geralmente são muito bem informados. Esse é um bom exemplo para que nunca desprezemos uma fonte.

    Cris Bonfim

    26/08/2009 at 16:18

  3. Muito bom o trabalho dos jornalistas, com muita coragem. Parabens à você, Toledo, pelo seu trabalho e pela home, que passo a segui-la.
    Faço “jornal no trânsito” impresso em São Paulo, dirigido aos taxistas. peço autorização para publicar no jornal e no blog.http://www.nonatorodrigues.blogspot.com

    Nonato Rodrigues

    18/08/2009 at 10:12

    • Obrigado. Tudo bem, desde que citada a fonte.

      zerotoledo

      18/08/2009 at 22:36

  4. Super merecido o prêmio!

    Carol Moreno

    18/08/2009 at 8:19


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: